Arte
Deixe um comentário

Disco: Marlene Dietrich ao Vivo no Café de Paris!

191050

Nos idos de 1974, apareceu lá em casa um vinil cuja capa perfeita era o rosto de Marlene Dietrich emoldurado por seus olhos, um colar de diamantes e uma gola de vison sobre um fundo anil (assim eu lembro dele). Já conhecia Marlene por conta da minha fixação infantil por estrelas da década de 30 e 40 (mulheres). Mas, obviamente, aos oito anos nunca tinha visto nenhum filme dela. Lembro até hoje – e consigo cantarolar – algumas músicas: Lili Marlene, Jonhny, Falling in Love Again, La Vie en Rose… Esta última, que assovio compulsivamente, já me rendeu bons papos em padarias e banheiros de shoppings.

il_340x270.651292098_gmyh

Tenho uma memória nítida das sensações e do prazer estético que as músicas e as fotos do disco me davam. Estes dias passou na TV Testemunha de Acusação, de Billy Wilder, um dos filmes prediletos de minha avó paterna, com Marlene e o grande Charles Laughton, além do sempre profundamente sexual Tyrone Power. Não revi o filme, mas, talvez por ter registrado a efeméride, decidi retomar o blog com algo sobre o disco de Marlene e lá fui eu para o You Tube e o Google.

Marlene-Dietrich-Witness_l

Descobri que o disco foi gravado em uma apresentação em Londres, em 1954, na casa noturna Café de Paris. Como ela nasceu em 1901, tinha então 53 anos de aplomb. Resgatei ainda uma memória esquecida da apresentação dela antes do show feita por Noel Coward (na época eu não sabia quem era, mas lembro do deboche e da picardia que transpareciam no tom de sua voz; timing e descaração perfeitos). Peguei a set list do show/disco.

Side 1:
1. Introduction by Noel Coward
2. La Vie En Rose
3. The Boys in the Backroom
4. Lazy Afternoon
5. Lola
6. Look Me Over Closely
7. Das Lied ist Aus (Frag ‘Nicht Warum Ich Gehe)
Side 2:
1. No Love, No Nothin’
2. The Laziest Gal in Town
3. Jonny
4. Lili Marlene
5. Falling in Love Again

Live at the Cafe de Paris no Grooveshark

Morocco3

Pesquei ainda o vídeo com o texto do Coward e, de lambuja, um trecho de Morocco, filme em que ela contracena com Gary Cooper (em estado de perdição) – atentem, o filme é de 1930.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s